Inicial PREPARAÇÃO PARA O TEMPO DO FIM Crenças fundamentais dos adventistas: Morte e Ressurreição

Crenças fundamentais dos adventistas: Morte e Ressurreição

14 minutos de leitura
0
0
59

A Bíblia explica o destino dos mortos e a esperança do reencontro. 

Olá, amigos. Sem dúvida, uma das perdas mais dolorosas e devastadoras que podemos experimentar nesta terra é a perda de um ente querido. A perda doentia e insubstituível dessa pessoa especial é algo que penetra profundamente no coração e, embora a dor possa diminuir com o tempo, a memória desse ente querido permanece conosco pelo resto de nossa vida.

Como crentes em Cristo, no entanto, temos a incrível esperança de ver nossos entes queridos novamente. Jesus diz em João 11:25: “Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá”.

Essa preciosa promessa nos assegura que a morte não precisa ser o fim. Para aqueles que amam a Jesus, há esperança de vida eterna. Mas quando começa a eternidade? Alguns pensam que, quando uma pessoa morre, se ela for boa, sua “alma” eterna flutua para o céu ou, se for má, desce para outro lugar. Mas o que a Bíblia nos diz?

Único Imortal

Em 1 Timóteo 6:16 nos é dito claramente que Deus é “o único que possui imortalidade, que habita em luz inacessível”. Ele não foi criado, é auto existente e não tem começo nem fim. Em contraste com Deus, os humanos são seres mortais, criados. Em nenhum lugar nas Escrituras somos descritos como imortais, ou que temos uma “alma imortal” ou espírito.

Na criação, “formou o Senhor Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente” (Gênesis 2:7), ou, como algumas traduções colocam, um “ser vivente”. Para ser uma “alma vivente”, é preciso ter o fôlego da vida, mais um corpo. Sem ambos, a “alma” ou “ser” não existem.

“Certamente morrerás”

Quando Deus criou Adão e Eva, Ele lhes deu o livre arbítrio, o poder de escolha. Eles podiam obedecer ou desobedecer, e sua existência contínua dependia de suas escolhas. Deus explicou cuidadosamente que se eles comessem da “árvore do conhecimento do bem e do mal” eles “certamente morreriam” (Gênesis 2:17).

Mas Satanás contradisse a advertência de Deus, afirmando a Eva: “É certo que não morrereis” (Gênesis 3:4). Mas depois que pecaram, Adão e Eva descobriram que “o salário do pecado” é, de fato, a morte (Romanos 6:23). Deus lhes disse: “até que tornes à terra, pois dela foste formado; porque tu és pó e ao pó tornarás” (Gênesis 3:19).

Nossa crença fundamental adventista do 26º dia explica isso da seguinte maneira:

“O salário do pecado é a morte. Mas Deus, o único que é imortal, concederá vida eterna a Seus remidos”.

“Até aquele dia, a morte é um estado inconsciente para todas as pessoas. Quando Cristo, que é a nossa vida, Se manifestar, os justos ressuscitados e os justos vivos serão glorificados e arrebatados para o encontro de seu Senhor”.

“A segunda ressurreição, a ressurreição dos ímpios, ocorrerá mil anos mais tarde”.

Se você quiser ler mais sobre essa crença fundamental, eu o encorajo a visitar o site adv.st/crencas.

A morte é como um sono

A Bíblia descreve a morte como um estado inconsciente, um sono profundo do qual a pessoa aguarda a ressurreição. Salomão, o homem mais sábio que já viveu, escreveu: “Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma” (Eclesiastes. 9:5). E o salmista declara claramente: “Os mortos não louvam o Senhor, nem os que descem à região do silêncio” (Salmos 115:17).

Jesus também falou da morte como um sono. Ao descrever a condição da filha de Jairo, que estava morta, Cristo disse que ela estava dormindo (Mateus 9:24; Marcos 5:39). Ao se referir a Seu amigo Lázaro, Jesus disse a Seus discípulos: “Nosso amigo Lázaro adormeceu, mas vou para despertá-lo” (João 11:11). Aqui Cristo está se referindo tanto à morte de Lázaro quanto à sua futura ressurreição.

O profeta Daniel também fala da morte como um sono, e da ressurreição e julgamento que se seguirão. Referindo-se ao fim dos tempos, ele escreveu: “Muitos dos que dormem no pó da terra ressuscitarão, uns para a vida eterna, e outros para vergonha e horror eterno” (Daniel 12:2).

Quando a Bíblia fala da morte como um sono, isso implica um despertar desse sono, uma ressurreição. É a morte e ressurreição de Cristo que torna possível que sejamos ressuscitados. Como Paulo aponta em 1 Coríntios 15:13, 14, “se não há ressurreição de mortos, então, Cristo não ressuscitou. E, se Cristo não ressuscitou, é vã a nossa pregação, e vã, a vossa fé”.

“Todos serão vivificados em Cristo”

Mas louvado seja Deus, ele continua. “Mas, de fato, Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dos que dormem. Visto que a morte veio por um homem, também por um homem veio a ressurreição dos mortos. Porque, assim como, em Adão, todos morrem, assim também todos serão vivificados em Cristo” (versos 20-22).

Ellen White dá uma descrição incrível da primeira ressurreição na Segunda Vinda. Ela escreve: “Por entre as vacilações da Terra, o clarão do relâmpago e o ribombo do trovão, a voz do Filho de Deus chama os santos que dormem. Ele olha para a sepultura dos justos e, levantando as mãos para o céu, brada: ‘Despertai, despertai, despertai, vós que dormis no pó, e surgi!’ Por todo o comprimento e largura da Terra, os mortos ouvirão aquela voz, e os que ouvirem viverão” (O Grande Conflito, página 644).

Sim, amigos. Porque Ele vive, podemos viver também. Mas, como lemos em Daniel 12:2, alguns serão elevados à “vergonha e horror eterno”. Isso se refere à “segunda ressurreição”, quando aqueles que rejeitaram a Cristo como seu Salvador serão ressuscitados para seu julgamento final e destruição. Exploraremos isso mais adiante em nosso próximo vídeo sobre o Milênio e o Fim do Pecado.

Amigos, espero estar entre os vivos para ver Jesus voltar, e tenho certeza que vocês também. Mas mesmo que morramos, podemos ter certeza de que, se dormirmos em Jesus, Ele nos ressuscitará naquele dia. “Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor. Consolai-vos, pois, uns aos outros com estas palavras” (1 Tessalonicenses 4:16-18).

Meus amigos, esta é uma de minhas passagens preferidas nas Escrituras e estou certo de que é uma de suas também. Com esta segurança oremos juntos agora mesmo.

Pai nosso que estás nos céus, obrigado pela grande certeza de que Jesus está vindo, que Ele é o poder sobre a morte e trará de volta à vida as pessoas que morreram Nele. Oh, Senhor, por favor, mantenha cada um de nós na preciosa concha de Tua mão enquanto caminhamos todos os dias em direção à breve vinda de Jesus Cristo. E, Senhor, esperamos que, através da Tua Graça, estejamos vivos quando Jesus vier. Mas se não, ajuda-nos a ter certeza de que, ao olharmos para Cristo em todas as coisas, Ele nos salvará e nos ressuscitará no último dia, para ver Sua breve vinda. Obrigado por nos ouvir nesta oração. Em nome de Jesus, pedimos. Amém.


Ted Wilson é o presidente mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Carregue mais artigos relacionados
Carregar mais por TEMPO PROFETICO TEMPO PROFETICO
Carregue mais PREPARAÇÃO PARA O TEMPO DO FIM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

As mensagens angélicas são para o nosso tempo?

Se todos soubessem que as mensagens deixadas por Deus para a humanidade por meio de três a…