Inicial ARTIGOS Além dos limites: zoofilia e os desafios atuais da moralidade

Além dos limites: zoofilia e os desafios atuais da moralidade

10 minutos de leitura
0
0
91

Práticas pecaminosas sexuais condenadas pela Bíblia Sagrada, como a zoofilia, desvirtuam o plano divino original para a sexualidade. A Bíblia Sagrada apresenta um ideal sobre como o ser humano deve entender a sexualidade.

Deus criou o sexo como um presente sagrado para a humanidade, projetado para ser vivido dentro de limites morais (Gênesis 1:28; 2:24). No entanto, o mundo tem sido palco de uma crescente prevalência da imoralidade sexual (Gálatas 5:19-21)1. Existem movimentos surgindo que desejam, por exemplo, normatizar práticas consideradas abomináveis na Palavra de Deus como pedofilia2 e zoofilia3. A Palavra de Deus é bastante clara quanto a práticas sexuais indevidas, suas consequências e como enfrentar isso espiritualmente.

Quando os seres humanos começam a se afastar do ideal de Deus, inicia-se um processo de degradação moral, denominado por Gallagher de “espiral da degradação”4. Tal fenômeno ocorre quando as pessoas, gradualmente, afastam-se dos princípios morais de Deus e cedem a desejos pecaminosos. Isso pode levar a uma escalada de imoralidade que culmina em práticas abomináveis, como zoofilia e pedofilia.

Pornografia

Tomemos por exemplo uma a pessoa que começa a acessar conteúdo pornográfico. Com o tempo, o que antes satisfazia já não é suficiente. Ela passa a assistir a cenas cada vez intensas. Chega um ponto em que a experiência virtual não causa a mesma satisfação de antes, e a pessoa parte para a prática sexual real. Gradualmente, aproxima-se de um abismo. Esse fácil acesso à conteúdos imorais torna extremamente desafiador resistir à imoralidade sexual e buscar o princípio bíblico da santidade5.

Esse processo de degradação acontece porque “o pecado sexual é insaciável. Não existem limites para aqueles que estão controlados por essa degradação sexual. Aquilo que ontem era abominável passa a ser desejado. Então, quando a pessoa menos espera, ela se vê praticando justamente aquilo que abominava”6. São indivíduos imersos nesse processo degradante, ofuscados por seus pecados, que argumentam que as práticas condenadas pela Bíblia não são aplicáveis, atualmente, e que refletem apenas a cultura da época7.

Zoofilia

A Bíblia ressalta como um pecado pode levar a outro. O apóstolo Paulo escreve em Romanos 1:24-32 sobre como a rejeição de Deus resulta em uma sequência de pecados, incluindo a homossexualidade e a imoralidade sexual generalizada.

Além disso, nas Escrituras Sagradas encontramos pelo menos quatro passagens diferentes que condenam o envolvimento sexual com animais, ou seja, a zoofilia: “Homem nenhum deve se contaminar tendo relações sexuais com um animal. E mulher nenhuma deve se oferecer para um animal macho para ter relações com ele. Isso é depravação” (Levítico 18:23; ver Êxodo 22:19; Levítico 20:15-16; Deuteronômio 27:21).

Os textos deixam claro que a zoofilia, de acordo com a Bíblia, é abominável ao Senhor. Desde a criação, foi ordenado aos seres humanos cuidar dos animais (Gênesis 1:26). É Deus quem sustenta a vida deles (Salmos 104:24-30). Maltratar os animais é uma violação da ordem dada na criação.

Pedofilia

Em relação às crianças, ao receber uma nos braços, Jesus proclama um “ai”, símbolo de juízo na Bíblia8, sobre aqueles que as prejudicam e roubam sua inocência (Mateus 18:2-7). Ele também declara: “Fiquem atentos, para não desprezarem nenhum destes pequeninos! Porque eu afirmo a vocês que os anjos deles, lá nos céus, veem incessantemente a face de meu Pai celeste.” (Mateus 18:10).

Práticas, portanto, como pedofilia e zoofilia são exemplos extremos de como a degradação espiritual e moral pode levar a comportamentos abomináveis. Outras práticas também são condenadas na Palavra, como o incesto, a poligamia, o adultério e homossexualidade (Levítico 18).

Visão bíblica da sexualidade

O sexo foi criado por Deus para ser desfrutado dentro do casamento heterossexual, uma instituição divina, descrito como a união entre um homem e uma mulher, que se tornam “uma só carne” (Gênesis 2:24).  “Os cristãos são chamados a considerar as relações sexuais à luz da Criação: exclusivamente no contexto do casamento heterossexual”9. Todas as formas de relações sexuais que desviam desse ideal são pecaminosas, contrárias à vontade de Deus.

A sexualidade, criada por Deus, é um dom maravilhoso destinado a ser vivido dentro dos limites estabelecidos por Ele. A espiral da degradação ilustra o trágico desfecho da escolha pelo pecado. No entanto, a misericórdia divina oferece a oportunidade de arrependimento e transformação. O chamado é para que a humanidade busque a santidade e a pureza, respeitando os princípios bíblicos e preservando a dignidade de todos. Em um mundo em constante transformação, as Escrituras continuam a oferecer diretrizes sólidas para uma vida de integridade e retidão.


Lucas Hígor de Lima Pereira ­é teólogo e pastor distrital em Manaus, Amazonas.

Referências:

1. STRINGER, Jay. Unwanted: how sexual brokenness reveals our way to healing. Navpress, 2018.

2. CASTRO, Gabriel A. Como a agenda progressista permissiva nos costumes leva à aceitação da pedofilia. Gazeta do Povo, https://www.gazetadopovo.com.br/vida-e-cidadania/como-a-agenda-progressista-permissiva-nos-costumes-leva-a-aceitacao-da-pedofilia/. Acesso em 15 de maio de 2023.

3. NUNES, Everton. ALEMANHA – ‘Descriminalização do sexo com animais’: Marchas do Orgulho da Zoofilia exigem que o movimento LGBTQI + adicione um Z.  Descriminalização da zoofilia. Portal do Norte, https://portaljornaldonorte.com.br/alemanha-descriminalizacao-do-sexo-com-animais-marchas-do-orgulho-da-zoofilia-exigem-que-o-movimento-lgbtqi-adicione-um-z/. Acesso em 28 de agosto de 2023.

4. GALLAGHER, Steve. No Altar da Idolatria Sexual. BPAT1, 2013.

5. RIGNEY, Joe. Mais que uma batalha. Thomas Nelson Brasil, 2022.

6. COMFORT, Philip W; ELWELL, Walter A. Dicionário Bíblico Tyndale, p. 1691. Geográfica Editora, 2015.

7. CRAIG, William L. Apologética para questões difíceis da vida. Vida Nova, 2020.

8. NICHOL, Francis D (Editor). Comentário Bíblico Adventista do Sétimo dia, Volume 5, p. 404. Casa Publicadora Brasileira, 2015.

9. MOON, Denis. The Ellen White Encyclopedia. Review and Herald, 2013.

Carregue mais artigos relacionados
Carregar mais por TEMPO PROFETICO TEMPO PROFETICO
Carregue mais ARTIGOS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

As mensagens angélicas são para o nosso tempo?

Se todos soubessem que as mensagens deixadas por Deus para a humanidade por meio de três a…